Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

SÁBADO por C-Studio

Partilhe nas Redes Sociais

Powered by

Unibanco

Carros clássicos, um investimento para o futuro

Carros clássicos, um investimento para o futuro

Investir em carros clássicos pode ser um excelente negócio. Seguem 12 exemplos de carros, mais ou menos antigos, com tendência para valorizar.


Publicado em 02-Abr-2019

Peugeot 205 GTI

A Peugeot teve no século passado um GTI que foi um autêntico sucesso. O Peugeot 205 GTI, que, refira-se, era concorrente do Golf GTI assim como do Citroën Visa GTI ou do Opel Kadett GSI, entrou nos anais da história automóvel como sendo um símbolo dos pequenos desportivos que na altura despontavam. O 205 foi mais do que um GTI, naturalmente. Foi um cabriolet charmoso. Carro de competição. Modelo com um design moderno que rompeu com o então conservadorismo da marca. Foi o carro mais vendido na história da marca francesa durante 15 anos, entre a década de 80 e 90 do século XX. A sua produção foi descontinuada, mas continua a valorizar.

Volkswagen Carocha

É um dos carros mais conhecidos e apreciados do planeta, não lhe faltam admiradores. O Volkswagen Carocha (Beetle, em inglês; Käfer em alemão) começou a ser fabricado em 1938. Décadas mais tarde, parou-se a produção do modelo para depois ser retomada com a segunda e a terceira gerações. Em 2018, o fabricante alemão anunciou que vai abandonar definitivamente, em junho de 2019, a produção do mítico carro. Um motivo forte para adquirir esse pedaço importante da história automóvel.

Lancia Delta Integrale

Ao volante de um Lancia Delta Integrale, os pilotos Juha Kankkunen, Miki Biasion e Carlos Sainz foram campeões do mundo de rali na década de 80 e 90 do século passado. Este clássico fez história numa marca então com prestígio. Hoje, a Lancia apenas comercializa o seu único modelo – o Ypsilon – no mercado italiano. Uma pena! O Lancia Delta Integrale deixou tantas saudades que a Amos Automobili quer trazer de volta o Delta Integrale, prometendo construir uma série limitada do modelo. Custará 300 mil euros! Parece ser mais fácil comprar o clássico em Portugal…

Volvo P1800

Simon Templar, ou melhor… Roger Moore, conduziu o Volvo P1800 na série de televisão O Santo, exibida entre 1962 e 1969. Este modelo, que foi o primeiro grande sucesso da marca sueca no que diz respeito a veículos desportivos, ficou por isso imortalizado. Não é um carro acessível, ficando acima dos 40 mil euros, mas para os colecionadores o preço é relativo. Quem comprar, guardar, estimar e depois decidir vender ficará a ganhar com o negócio.

Audi TT

Quando o Audi TT chegou ao mercado foi uma autêntica “pedrada no charco”. Há 20 anos, o modelo surpreendeu pelas suas linhas elegantes. Hoje, o novo TT continua a ter muitos adeptos e a gama já teve direito a facelift e a novidades tecnológicas. Pode adquirir-se o novo Audi TT Roadster ou Coupé que vai para o mercado neste primeiro trimestre do ano. Ou comprar uma versão mais antiga, em segunda mão. Os preços, logicamente, variam consoante os anos do carro, a quilometragem… Pode comprar-se um TT do fim dos anos 90 por cinco mil euros; ou adquirir um modelo mais recente por 40 mil, por exemplo. Será sempre um bom investimento. Este é já um modelo icónico no presente e continuará a ter valor no futuro.

Citroën DS

O Citroën DS, conhecido em Portugal por “boca de sapo” – e em Espanha por “tiburón”, que significa tubarão –, foi apresentado ao mundo no Salão de Paris de 1955. O veículo, futurista, vendeu 750 unidades em 45 minutos; 12.000 após um dia; e cerca de 80.000 até ao encerramento do evento. Um clássico que deixou de ser produzido em 1975, mas nunca perdeu valor e que tem muitos apaixonados, como o apresentador norte-americano Jay Leno, que nunca lhe regateia elogios. Aliás: faz parte do popular programa Jay Leno’s Garage. Não é difícil encontrar um “boca de sapo” em segunda mão. Os preços variam muito conforme o modelo e o estado de conservação do automóvel. Na pesquisa feita encontraram-se modelos baratinhos e outro que custava mais de 30 mil euros.

Volkswagen Golf GTI

Apresentado ao mundo na 46ª edição do Salão de Frankfurt, em 1975, e lançado no mercado alemão em 1976, o Golf GTI foi um sucesso desde o primeiro momento. Apesar da apreensão inicial por parte da administração para este projeto, o qual aliás chegou a ser concebido secretamente, o modelo vendeu no primeiro ano de comercialização 10 vezes mais do que as previsões iniciais. O Golf GTI, cujo protótipo foi baseado no Scirocco, tem ainda hoje uma legião de fãs. Adquirir o primeiro modelo realmente desportivo da marca alemã em bom estado e genuíno pode render dinheiro no futuro. O Golf GTI está à venda por valores díspares – 2.500 euros, 8.000 euros, 13.500 euros… –, é uma questão de se procurar e fazer um bom negócio.

Honda S2000

O Honda S2000 foi um roadster que fez história durante os 10 anos que foi produzido (1999-2009), mas que não se ficou para aí. Ainda hoje este desportivo é recordado pelos saudosistas pelo seu motor, um 2.0 l que foi dos melhores produzidos pela Honda, pela condução equilibrada e caixa de velocidades manual de seis velocidades bastante suave. Colecionadores ou não, continua a ser um bom negócio investir neste icónico roadster japonês.

Porsche 911 Turbo

Desde 1963, aquando da apresentação ao público na Alemanha, que o Porsche 911 esteve destinado a rodar no caminho do sucesso. Fazem parte do modelo 911: o Carrera, o Carrera S, o Carrera T, o Targa 4, o GTS, o GT3, o GT2 RS… e o Turbo. Este último, nascido inicialmente em 1975, é, sem dúvida, um dos desportivos mais lendários da história automóvel e durante anos foi o topo de gama do modelo. O Porsche 911 Turbo é paixão! E parece que há mais um modelo ao virar da esquina de 2020. Se houver disponibilidade financeira para tal, há que equacionar a compra de um modelo mais antigo, mas repleto de glamour.

Saab Turbo

A Saab já não existe. Agora é a NEVS (National Electric Vehicle Sweden), que adquiriu os bens e os direitos da antiga marca sueca. Atualmente, a NEVS fabrica veículos elétricos com inspiração na Saab. No passado, a marca foi muito forte e teve modelos icónicos, como o Saab. A versão 900 Turbo (também pode ser cabriolet) é a mais procurada e igualmente a que dá mais garantias de ter poucos problemas. Por enquanto, ainda se encontra este modelo com facilidade.

Mercedes Benz 190

Seguro, confortável e mais económico, o Mercedes-Benz 190 (W201) foi um excelente exemplo de um automóvel direcionado para a família, mas sem as dimensões exageradas que eram comuns na marca. Apresentado ao público em 1982, este carro tem fama de ser resistente e fiável. Ou seja: anda milhares… e milhares… e milhares de quilómetros até dar problemas! É um dos veículos que ganharam o direito a estar nesta lista de carros antigos, mas que vale a pena investir. Mais: o estudo de mercado realizado pelo Historic Automobile Group International revela que os clássicos Mercedes-Benz são bom investimento, pois a sua cotação cresce a médio e longo prazo.

Mini

Hoje é fácil comprar um Mini. Há várias versões atualizadas e, por sinal, com design e tecnologia recomendáveis. Adquirir um modelo clássico deste ícone da indústria automóvel britânica que começou a ser comercializado em 1959 é outra história. Este pequeno modelo pode estar bem conservado ou nem por isso e precisar de restauro. Há Minis com muitos… muitos quilómetros e outros “apenas” com muitos quilómetros. Mas uma coisa é certa: colecionadores e investidores podem comprar até porque existe oferta a preços variados. E a tendência é de valorização.