Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Powered by

Unibanco
Casa: que tarefas atribuir às crianças? Casa: que tarefas atribuir às crianças?

Casa: que tarefas atribuir às crianças?

Casa: que tarefas atribuir às crianças?

Segundo um estudo da Harvard University, crianças que realizam tarefas domésticas, como fazer a cama ou lavar a loiça, tornam-se em adultos mais bem-sucedidos.


Publicado em 24-Jun-2019

Ao sobrecarregar as crianças com expetativas muito altas e ao querer gerir a vida delas, os pais não estão a ajudá-las. É o que diz Julie Lythcott-Haims, antiga reitora de caloiros na prestigiada Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. A autora do livro “How to Raise an Adult” defende que os pais devem deixar de definir o êxito dos seus filhos em função dos testes e das notas. Em vez disso, diz, devem concentrar-se em dar-lhes um amor incondicional e dar-lhes tarefas domésticas… aumentando a probabilidade de estarem a criar adultos mais bem-sucedidos e, sobretudo, mais felizes!

Lythcott-Haims cita um estudo de Harvard, que acompanha as vidas dos graduados desde 1938, a fim de descobrir por que algumas pessoas são mais bem-sucedidas do que outras. E uma das conclusões desse estudo é que os sujeitos que realizavam tarefas domésticas quando crianças cresceram e tornaram-se adultos mais independentes, mais capazes de trabalhar em grupos colaborativos e mais bem preparados para entender que, embora alguns trabalhos possam ser desagradáveis, podem ser uma parte valiosa da comunidade. Ou seja, executar tarefas domésticas como levar o lixo ou dobrar e arrumar as roupas não são tarefas divertidas, mas fazem parte da vida. E as crianças devem desde cedo entender isso.

Dias cheios de atividades extracurriculares e o excesso de proteção de alguns pais que querem poupar os filhos a trabalhos domésticos “priva-os da satisfação de aplicar seu esforço para uma tarefa e realizá-la”, explica Lythcott-Haims. “[O Harvard Grant Study] descobriu que o sucesso profissional na vida, que é o que queremos para nossos filhos […] vem de terem feito tarefas em crianças. Quanto mais cedo começarem, melhor. Uma mentalidade de arregaçar as mangas […] e dizer há um trabalho desagradável a ser feito, alguém tem que fazer isso, e esse alguém posso ser eu […] é isso que vai colocar as crianças numa posição de destaque no local de trabalho”.

As pessoas com grande sucesso profissional são empáticas, colaborativas e capazes de assumir tarefas de forma autónoma e responsável, e isso é algo que deve ser aprendido em casa, desde cedo, por experiência própria. Pelo contrário, crianças que não executam qualquer tarefa doméstica e apenas se preocupam com os seus resultados escolares, aprendem que outra pessoa irá fazer essas tarefas “desagradáveis”, que não é essa a sua função, e perdem uma oportunidade preciosa de entender que cada pessoa deve contribuir para que a vida de todos seja melhor.

Dá que pensar, não dá? Mas antes de avançar em força com este projeto que vai ensinar aos seus filhos valores fundamentais de responsabilidade, organização e entreajuda, importa saber quais as tarefas mais apropriadas para cada idade.

Que tarefas deve realizar uma criança até aos 3 anos?

Pode parecer demasiado cedo, mas a partir dos 18 meses, o seu filho deve começar a realizar algumas tarefas básicas, mas não se assuste, pois as tarefas mais recomendadas para esta idade estão relacionadas com a autonomia pessoal da criança. Ou seja, aprender a calçar e descalçar os sapatos, vestir e despir-se sozinho, lavar as mãos, beber por um copo (e não usar biberão), comer sozinho, assoar o nariz, e deixar de usar fraldas…. Depois pode começar a fazer trabalhos simples, que o preparam para o estágio seguinte, como varrer espaços pequenos com uma vassoura apropriada à idade ou ajudar a fazer a sua própria cama e levantar a mesa.

  • Casa: que tarefas atribuir às crianças? | Unibanco
    • Casa: que tarefas atribuir às crianças? | Unibanco

      Que tarefas deve realizar uma criança entre os 3 e os 6 anos?

      Nunca descurando regras de segurança e proporcionando o acesso fácil à criança (a móveis e materiais), o seu filho deve aperfeiçoar determinadas tarefas relacionadas com a sua higiene pessoal, como tomar banho, lavar os dentes, vestir-se e despir-se, escolher a roupa para o dia seguinte, mas também poderá começar a aprender e a experimentar novas tarefas domésticas sem supervisão do adulto como fazer a sua cama, dobrar a sua roupa e guardá-la nas gavetas e armários, arrumar os brinquedos, pôr e levantar a mesa, limpar o pó, regar as plantas, tratar de animais de estimação e ajudar a arrumar as compras do supermercado…

      Que tarefas deve realizar uma criança entre os 6 e os 9 anos?

      Mais do que arrumar brinquedos, nesta fase a criança já deverá arrumar e limpar o quarto; separar a roupa suja por cores; estender a roupa e apanhá-la, dobrando-a; participar na limpeza da casa (aspirar, varrer, limpar o pó…); pôr e levantar a mesa; ajudar a lavar e arrumar a loiça; e também começar a aprender a preparar refeições simples (saladas, bolos, sandes…) e até fazer pequenos remendos de costura.

      E entre os 9 e os 12 anos?

      Nesta idade, deve continuar a fazer as tarefas já mencionadas, mas de forma mais elaborada, como mudar os lençóis da cama, lavar a casa de banho, trabalhar com a máquina de lavar a roupa e loiça ou passar a ferro algumas roupas. Também poderá fazer alguns trabalhos que exigem mais força, como ir buscar lenha para a lareira, lavar o carro, levar o lixo à rua…

      • Casa: que tarefas atribuir às crianças? | Unibanco
        • Casa: que tarefas atribuir às crianças? | Unibanco

          A partir dos 13-14 anos, já não devem existir restrições e na adolescência os seus filhos já devem ser perfeitamente capazes de realizar todas as tarefas domésticas de forma independente…

          O importante é que a criança vá assumido as tarefas domésticas como algo de normal. A ideia não é que a criança faça todas as tarefas, mas estabelecer uma rotina e criar hábitos, determinando quais os trabalhos que vão ficar a seu cargo dentro da estrutura familiar, e ir aumentando o grau de dificuldade e responsabilidade das tarefas à medida que as crianças vão crescendo. No futuro, todos vão agradecer!