Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Powered by

Unibanco
Chegou a hora de remodelar a cozinha? Chegou a hora de remodelar a cozinha?

Chegou a hora de remodelar a cozinha?

Chegou a hora de remodelar a cozinha?

Se o desejo de uma nova cozinha está a tomar conta dos dias, aposte na mudança! A remodelação é mais fácil do que parece.


Publicado em 17-Jun-2019

O tempo das cozinhas datadas, dos padrões antigos e dos móveis de avó já lá vai e não volta mais. Há 20 ou 30 anos, construir ou comprar casa era um compromisso para a vida em que se investia nos melhores materiais.  

Como nada é para sempre, chega invariavelmente o desejo de mudar. Sem desesperos! Para todas as cozinhas há uma solução. As opções cada vez mais competitivas do mercado fazem com que remodelar não seja um projeto a longo prazo. E uma cozinha moderna e ajustada aos gostos atuais não é uma utopia: basta fazer uma simulação de crédito pessoal do Unibanco. Depois de pedir o crédito, mãos à obra! Qualquer cenário imaginário se pode tornar real. E, se sentir que uma remodelação Do It Yourself é um trabalho demasiado grande, há designers de interiores que podem ajudar nas escolhas. A Homify, por exemplo, tem uma vasta lista de profissionais nas mais diversas áreas da remodelação e decoração.

Um espaço de refeições à medida 

Em muitas casas opta-se pela mesa de jantar na cozinha, quer por questões de espaço, quer por questões práticas. Comece o cenário de cozinha remodelada pelo sítio onde acabam a passar mais tempo em conjunto. Mesas redondas dão um ar moderno e acolhedor, e com o diâmetro suficiente podem acolher bastantes pessoas sem descurar o conforto. 

Já as mesas quadradas ou retangulares têm a vantagem de poderem ser extensíveis, o que significa que se adaptam a espaços mais e menos compactos e a grupos maiores e mais pequenos. 

Independentemente da superfície, devem escolher sempre cadeiras confortáveis. Nada de cadeiras de assento e costas duras, sem braços. Afinal, uma refeição nunca é só uma refeição. A sobremesa, a conversa que se prolonga, o café, tudo isto são fatores que prolongam o tempo à mesa e que ditam a necessidade de um ambiente cozy. 

      Porque não um open space?

      As casas com múltiplas divisões chegaram a ser tendência e com bons motivos: as temperaturas dos espaços aquecidos eram mais fáceis de reter e o cheiro de cozinhados não se propagava pela casa. Hoje, um bom sistema de extração e o aquecimento/ar condicionado acabam por tornar qualquer uma destas desculpas obsoletas. Como normalmente a cozinha e as salas de jantar e de estar estão separadas, mas em espaços contíguos, a solução pode ser remover uma das paredes – ou várias – e criar um open space.  

      A divisão entre a cozinha e os outros espaços pode ser feita, por exemplo, através de uma ilha. 

          Os azulejos não têm de ser uma dor de cabeça 

          Azulejos datados são recorrentes em cozinhas menos recentes, mas também para eles há soluções. Se a decisão recair por substituí-los, opte por azulejos mais pequenos, quadrados ou em retângulo, que dão um ar mais moderno e clean ao espaço. 

          A sugestão passa por forrar de azulejos apenas a parede na qual se encontra o fogão, a banca e o lavatório, para não se tornar um ambiente pesado. 

          Uma das tendências mais atuais é a mistura de vários padrões no mesmo tom, ou em tons que contrastem. Outra opção é a de azulejos monocromáticos, apenas com um apontamento de cor, com uma forma distinta ou relevo, para dar um toque irreverente. 

          Para quem não consegue decidir-se sobre a melhor opção ou para quem sente que recolocar azulejo é um compromisso ao qual não se consegue agarrar, há revestimentos de azulejo a preços competitivos, com padrões e formas para todos os gostos, que podem ser retirados quando desejado!

              Iluminação pode ser o segredo

              Outro dos pontos drasticamente diferentes entre cozinhas antiquadas e modernas e, também, um dos mais simples de mudar. Tipicamente, as cozinhas mais antigas têm iluminações junto ao teto, de cor branca e com um ar frio. 

              Esse tipo de iluminação está completamente fora de moda e imprime ao espaço um aspeto impessoal. A aposta em focos de luz e em candeeiros suspensos imprime na cozinha um ar mais jovial e mais acolhedor. Há várias opções que se adequam à cozinha, como os candeeiros de ferro, ou abajures. As lâmpadas LED, com tom amarelo ou mesmo alaranjado, criam um ambiente familiar. Podem optar pelas suspensões em cima de outros elementos-chave, como a mesa de refeições ou uma ilha. 

              Para garantir que têm iluminação suficiente na hora de confecionar, optem por luzes LED embutidas nos armários, que podem também servir como elemento decorativo.

                  O pavimento quer-se aconchegante

                  O chão das cozinhas é outra das decisões que parece “para a vida”. O que significa que, no momento de escolher o pavimento, se vai mais uma vez pelo fator prático, deixando o conforto para segundo plano. Afinal, a cozinha é uma divisão transitória, onde nem se passa muito tempo, certo? Errado! Se o ambiente for confortável, torna-se um espaço onde acabam a passar horas. Há uns anos, era o linóleo a liderar as escolhas; hoje já há outros pavimentos a entrar nas cozinhas. Os pavimentos flutuantes são uma das escolhas prediletas para todos os espaços, incluindo a cozinha. A principal vantagem é serem colocados sobre o piso já existente, com uma manta isoladora a separá-los. 

                  Na cozinha, recomenda-se o pavimento flutuante laminado. De fácil limpeza, dará o aconchego desejado ao espaço.

                      Armários intemporais… Ou não!

                      A principal vantagem das remodelações, atualmente, é a facilidade com que se consegue concluir uma obra e o preço. Nos dias de hoje, um armário, mesmo que à medida, consegue ser feito por um preço bastante simpático. Isto dá liberdade na hora de escolher, porque não precisa de ser uma decisão para a vida. 

                      No caso dos armários, as linhas retas são uma aposta segura que combina nos mais variados estilos. Ainda assim, não precisam de ser armários aborrecidos. Apostar em puxadores distintos – que são facilmente substituíveis – ou em cores fortes dará um ar cuidado e personalizado ao espaço. Também aqui têm a opção de forrar os armários com vinil, se sentirem que os atuais ainda podem ter uma nova vida ou se, daqui a uns anos, se cansarem dos que escolheram para a remodelação. 

                      O conselho final: quer remodelem ou renovem a mobília, a maximização do espaço deve ser uma preocupação. Prateleiras, divisórias ou mesmo caixas de arrumação fazem maravilhas por qualquer espaço, dos mais compactos aos mais amplos. 

                      A IKEA é a primeira escolha na hora de comprar novos armários, pela vasta oferta a preços competitivos. Nas lojas, pode pedir aconselhamento personalizado e desenhar a cozinha dos seus sonhos. A recém-chegada a Portugal Kinda Home tem também a ajuda dos técnicos para o Projeto Cozinha, em que dão assistência personalizada aos clientes.