Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Powered by

Unibanco
Cinque Terre: roteiro de um postal ilustrado italiano Cinque Terre: roteiro de um postal ilustrado italiano

Cinque Terre: roteiro de um postal ilustrado italiano

Cinque Terre: roteiro de um postal ilustrado italiano

Na costa acidentada da Ligúria, cinco pequenas aldeias debruçadas sobre o mar atraem turistas e instagrammers de todo o mundo. Bem-vindos às Cinque Terre.


Publicado em 20-Ago-2019

Mais de dois milhões e meio de turistas visitam as Cinque Terre todos os verões. Estas cinco aldeias suspensas em falésias escarpadas sobre o Mediterrâneo estão entre os locais mais fotografados de toda a Riviera Italiana. No entanto, até há pouco mais de um par de décadas, eram simples vilarejos de agricultores e pescadores esquecidos do mundo. E o curioso é que mesmo depois de terem sido declaradas Património Mundial da UNESCO (em 1997), e transformarem-se num parque nacional de fama mundial, o Parco Nazionale delle Cinque Terre, são raras as pessoas que reconhecem os nomes próprios de cada uma destas povoações que todos os anos transbordam de visitantes. Monterosso, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore, já ouviu falar?

Com uma história antiga (que remota ao Império Romano), a cultura destas povoações medievais está profundamente influenciada pelo relevo montanhoso junto ao mar, uma paisagem com tanto de belo como de agreste que ditou o estilo de vida dos seus habitantes, dependentes da pesca e do cultivo de vinha e oliveiras em terraços construídos em socalcos nas falésias, graças à colaboração e cooperação de populações sem as quais estas culturas não teriam sido possíveis. Até porque esta área era praticamente inacessível, exceto pelo mar, até à construção da ferrovia que ligava Génova e La Spezia na década de 1870.

  • Vernazza, conhecida pela torre do Castello Doria
    Vernazza, conhecida pela torre do Castello Doria
  • A praia de Monterosso al Mare
    A praia de Monterosso al Mare
  • Corniglia
    Corniglia
  • Riomaggiore
    Riomaggiore
  • Manarola, talvez a mais popular das Cinque Terre
    Manarola, talvez a mais popular das Cinque Terre
    • Vernazza, conhecida pela torre do Castello Doria
      Vernazza, conhecida pela torre do Castello Doria
    • A praia de Monterosso al Mare
      A praia de Monterosso al Mare
    • Corniglia
      Corniglia
    • Riomaggiore
      Riomaggiore
    • Manarola, talvez a mais popular das Cinque Terre
      Manarola, talvez a mais popular das Cinque Terre

      Monterosso al Mare, a primeira ou última povoação, dependendo do lado de onde se chega, é um centro fortificado emoldurado por dois pequenos vales, com vista para uma das poucas praias da região. A maior e mais plana vila de todas as Cinque Terre, Monterosso tem como trunfo o facto de possuir praias com areia (as únicas) e a melhor escolha de hotéis, restaurantes e lojas. Aqui, entre becos estreitos e intricados, vale a pena visitar a igreja de San Giovanni Battista, construída em 1220.

      Vernazza é conhecida pelo Castello Doria, uma torre com vista para todo o golfo. O comboio deixa-nos mesmo na rua principal, a Via Roma, que desemboca num porto pitoresco. Segue-se Corniglia, a única aldeia de Cinque Terre que não foi construída na própria costa, mas num promontório alto, sem acesso ao mar. Essa característica e a necessidade de ter de subir mais de 350 degraus desde a estação de comboio para chegar até lá torna-a na menos movimentada das Cinque Terre. Mas possui uma vista incrível sobre as montanhas e o Mediterrâneo.

      Manarola é a mais fotogénica das aldeias a partir do mar. Trata-se de uma pequena aldeia cujas casas coloridas estão parcialmente assentes numa encosta rochosa que mergulha no mar rodeada por vinhas em socalco. No verão, talvez a mais popular das Cinque Terre mais populares, com muitos miradouros com vista para as águas turquesas do Mediterrâneo e uma destilaria famosa em toda a Itália. É daqui que parte um dos percursos pedestres mais famosos das Cinque Terre e também um dos mais fáceis: a famosa Via dell’Amore, um caminho construído na rocha nos anos 1926-1928, explorando as rotas acrobáticas dos pedreiros que construíram a ferrovia La Spezia-Génova no final do século XIX, mas cujo acesso está interdito (desde 2012) devido a deslizamentos de terra.

      A aldeia mais oriental é Riomaggiore. Tal como em Vernazza, esta vila tem uma rua principal que serpenteia entre as casas até a um pequeno porto piscatório. No século XIX, a vila então habitada por 3.000 pessoas encantou o pintor florentino Telemaco Signorini, um importante expoente da corrente dos Macchiaioli, retratando a aldeia em inúmeras das suas obras. Na parte superior da aldeia visite a igreja de San Giovanni Battista, construída em 1340 com um plano de basílica, com pilares em estilos diferentes e com duas portas góticas.

      Se andar a saltar de local em local atrás de hordas de turistas não for o seu estilo, escolha visitar apenas duas ou três destas aldeias (que na verdade são muito semelhantes entre si) e deixe-se ficar na esplanada de um restaurante com vista, experimentando a deliciosa gastronomia das Cinque Terre, à base de peixe e marisco, e bebericando um dos vinhos locais, enquanto espera pelo pôr do sol. 

      De regresso a La Spezia, vale a pena seguir viagem até Portovenere, muitas vezes chamada de “a sexta Cinque Terre”, e partir de onde é possível fazer excursões às ilhas de Tino, Tinetto e Palmaria. Tem uma pequena e agradável marginal, cheia de bares e restaurantes, um castelo contruído sobre um penhasco e uma igreja num promontório sobre o mar, o local ideal para tirar uma última fotografia.

      • Colunas góticas da Chiesa di San Pietro, em Portovenere
        Colunas góticas da Chiesa di San Pietro, em Portovenere
      • Baía de Portovenere
        Baía de Portovenere
        • Colunas góticas da Chiesa di San Pietro, em Portovenere
          Colunas góticas da Chiesa di San Pietro, em Portovenere
        • Baía de Portovenere
          Baía de Portovenere

          Como visitar

          Pode ser frustrante explorar a região de Cinque Terre de carro, já que a estrada que liga as várias povoações é muito sinuosa e o número de lugares de estacionamento extremamente restrito.  O ideal é deixar o carro num parque de estacionamento em La Spezia e apanhar o comboio. Existem serviços muito frequentes durante os meses de verão, sendo o ideal adquirir o Cinque Terre Card, que lhe dá direito a fazer um número ilimitado de viagens entre as várias povoações. Outras alternativas são o serviço de minibus da empresa Explora 5 Terre ou a via marítima, com serviços de ferry existentes a partir de Spezia, Lerici, Portovenere e Levanto.

          Os trilhos de Cinque Terre

          Durante séculos, os trilhos pedestres pelas falésias eram a única ligação entre as várias povoações por via terrestre. Com a construção da linha férrea, foram melhorados e acrescentados vários caminhos de uma rede de trilhos que hoje totaliza cerca de 120 quilómetros e que são uma das principais atrações de Cinque Terre.

          • Um dos trilhos do Parque Cinque Terre
            Um dos trilhos do Parque Cinque Terre
            • Um dos trilhos do Parque Cinque Terre
              Um dos trilhos do Parque Cinque Terre

              Existem circuitos com diferentes níveis de dificuldade – que poderá consultar aqui –, mas é importante que qualquer caminhada só seja feita com calçado adequado (há multas para quem faça caminhadas de chinelos) e em dias com boas condições climáticas, levando em consideração que alguns trajetos estão encerrados por causa das chuvas e deslizamentos de terra. Chegando a Cinque Terre, entre em qualquer centro de informação turística ou estação ferroviária, e peça um mapa com a lista de trilhos abertos atualizado.

              Dentro da Área Marinha Protegida, também existem percursos no mar, numa zona delimitada por pequenas boias colocadas para impedir a navegação e parar veículos marinhos de recreio, com o objetivo de proteger e realçar um trecho extremamente cénico e espetacular da costa, particularmente adequado para excursões de natação, mergulho com snorkel e caiaque.

              Onde comer

              Sim, em Cinque Terre também é comum encontrar pasta, pizza e gelados, mas há especialidades locais como o frito misto, um mix de polvo, anchovas, lula e camarão frito servido num cone, ideal para acompanhar com um copo de vinho branco das vinhas das montanhas que rodeiam Cinque Terre. Esta região da Ligúria também é conhecida pela focaccia e por especialidades italianas como o pesto e o ravioli (alla genovese).

              Enoteca Dau Cila – Junto ao porto de Riomaggiore, oferece uma ementa mediterrânica, com muito peixe e pasta caseira.

              A Pie de Ma – Restaurante e wine bar com um extraordinário terraço sobre o mar e as falésias de Riomaggiore.

              Trattoria Dal Billy – Em Manarola, esta trattoria orgulha-se dos seus pratos de tradição piscatória, sendo o local certo para pedir as típicas anchovas ao sal, uma pasta nera ai frutti di mare ou um simples peixe grelhado. Para sobremesa, experimente o bolo Capri, um bolo de chocolate e amêndoa que é uma das especialidades da casa.

              Il Pirun (Via Fieschi, 115, Corniglia) – Apesar de não existirem muitos restaurantes em Corniglia, é quase certo que vai comer bem. Nesta enoteca há anchovas fritas, gnocchi con pesto, paccherri com camarão e beringelas e muitos vinhos italianos.

              Pirate Delle 5 Terre – Em Vernazza, este restaurante dirigido por dois irmãos sicilianos, Gianluca e Massimo, serve pequeno-almoço, almoço e jantar, sempre comida caseira, sejam os croissants, os panzerotti com ricotta, os mil-folhas com chantilly, uma bruschetta com pesto, ou uma deliciosa panna cotta!…

              Belforte – Também em Vernazza, o Belforte tem uma localização privilegiada junto ao mar com uma sala interior num edifício antigo em pedra e vários terraços desnivelados com vista deslumbrante sobre a costa, e para Monterosso. Tem uma carta extensa, com pratos como tagliolini com choco, camarão e algas marinhas, vieiras com limão, ou a sopa Michela com mexilhões e outros frutos do mar.

              Milky – Em Monterosso al Mare, este restaurante mais sofisticado é conhecido pela sua massa cozida em louça de barro coberta por uma fina massa de pão e terminada em forno de lenha. Do mesmo forno a lenha sai também a especialidade da casa: a conchiglia con trenette alla pescatrice.

              Onde dormir

              Não há hotéis de cinco estrelas em Cinque Terre, e a maioria dos alojamentos são quartos e apartamentos para alugar, mas os preços não são baratos em época alta. Se vier para ficar um ou mais dias, lembre-se de viajar sem malas. O ideal é uma mochila e pouca roupa… porque há muitas escadas para subir…. Aqui ficam algumas sugestões:

              Porto Roca – Talvez o mais luxuoso dos hotéis na região, fica situado no alto de uma falésia de Monterosso. Tem uma piscina e um restaurante com vista de fazer inveja e muitos quartos têm varanda…

              • Hotel Porto Roca
                Hotel Porto Roca
                • Hotel Porto Roca
                  Hotel Porto Roca

                  Hotel Marina Piccola – Com 12 quartos (sete duplos, quatro triplos e um quádruplo), este hotel foi renovado em 2014 e oferece quartos de boas dimensões distribuídos por dois edifícios junto à marina de Manarola. Pode optar entre vista de mar ou para a rua principal, a via Birolli.

                  Torretta Lodge Manarola – O mais parecido com um “boutique hotel”, é o mais sofisticado que vai encontrar em Cinque Terre, e os preços são a condizer.  Em troca terá quartos e suites decoradas com muito bom gosto, a maioria com varanda com vista para as vinhas de um lado e o azul do Mediterrâneo do outro.

                  Il Boma – Um Bed & Breakfast bem no centro de Riomaggiore com apenas três quartos.

                  Elizabeth Caro Rooms – Em Vernazza, este B&B tem dois quartos privados muito simples e um acolhedor apartamento com um quarto duplo e um single.