Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

SÁBADO por C-Studio

Partilhe nas Redes Sociais

Powered by

Unibanco

Conhecer Portugal em família

Conhecer Portugal em família

Caminhar entre dinossauros, budas ou estátuas de terracota, aprender um pouco mais sobre os monges de Cister ou atravessar passadiços suspensos sobre águas bravas são algumas das atividades que pode fazer a poucos quilómetros de casa…

O Portugal dos Pequenitos, em Coimbra, ainda existe e recomenda-se. Mas longe vão os tempos em que este era “o” passeio em família. Portugal, e em particular a região Centro do País, tem muito para conhecer, em especial parques desenhados a pensar nos mais novos. É só ter vontade de sair de casa e partir à descoberta. Aqui ficam quatro sugestões de passeios a não perder.

 

Passadiços do Paiva – Arouca

      Antigamente, este era um local só acessível aos mais aventureiros, que se atreviam a enfrentar os rápidos e as correntes fortes do rio Paiva de caiaque ou rafting, mas agora aquela que é uma das paisagens naturais mais belas de Portugal é acessível a todos. Como? Graças aos Passadiços do Paiva, obra inaugurada em 2015, e que, em 2016, foi distinguida como o projeto mais inovador da Europa nos World Travel Awards, considerados os Óscares do turismo a nível mundial.

      Estendendo-se por oito quilómetros ao longo da margem do Paiva, que já foi considerado o rio mais limpo da Europa, estes passadiços de madeira permitem fazer uma caminhada com tanto de belo como de emocionante, entre rochas escarpadas, junto a descidas de águas bravas, incluindo a passagem por uma ponte suspensa.

      Parte integrante do Geoparque de Arouca, reconhecido em 2009 pela UNESCO, o percurso estende-se entre as praias fluviais do Areinho e de Espiunca, e pode ser feito em ambos os sentidos, mas iniciar o percurso no Areinho é considerado o trajeto fisicamente menos exigente.

      Ainda assim, evite dias de calor e não deixe de levar calçado confortável para caminhar, água e um piquenique. A meio do percurso, a praia fluvial do Vau tem zonas de sombra e um bom areal onde pode almoçar e dar uns mergulhos. No final, faça o regresso por estrada (se viajar com amigos, deixe um carro em cada ponto, mas se não for esse o caso, pode sempre regressar ao início de táxi por cerca 12-14 euros).

      Por último, não se esqueça de que está para breve a inauguração da anunciada ponte envidraçada dos Passadiços do Paiva, suspensa a 150 metros de altura junto ao geossítio da cascata das Aguieiras, que a Câmara de Arouca anuncia como “a maior de Portugal” e “a mais bonita da Europa”. Pode sempre tentar ser um dos primeiros a atravessá-la!…

      Horários: 8h-20h (maio a setembro); 9h-17h (outubro a março); 9h-18h (abril).

      Reserva de bilhetes aqui


       

      Parque dos Monges – Alcobaça

          Alcobaça é conhecida pelo seu imponente mosteiro, um dos mais belos monumentos cistercienses da Europa, com mais de 900 anos de história e Património da UNESCO desde 1999. Também é a cidade dos doces conventuais, com pastelarias que merecem por si só uma visita e ainda por ser uma das portas de entrada no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros. Todas elas opções válidas para um passeio em família, tal como o menos conhecido Parque dos Monges na Quinta das Freiras.

          Trata-se de um importante marco histórico ligado à presença da Ordem de Cister na região e à Batalha de Aljubarrota, pois foi aqui que as tropas portuguesas montaram o acampamento para recuperar as forças e festejarem a vitória sobre os castelhanos. Oito séculos depois, o mesmo cenário deu lugar a um parque de diversões que mistura história, natureza, gastronomia e adrenalina.

          O Parque dos Monges tem uma vertente temática, com um museu dos doces, oficinas monásticas e um jardim bíblico, para ficar a conhecer a vida e a obra dos monges de Cister em Alcobaça. Tem também uma vertente ambiental e zoológica, permitindo observar lontras, tartarugas, guaxinins, esquilos, burros, cabras anãs, ovelhas, cavalos, galinhas e patos-reais. E ainda, uma vertente desportiva e lúdica, com atividades radicais, como canoagem, escalada, slide, orientação, tiro com arco ou zarabatana e jogos tradicionais e monásticos.

          Entrada: 10 euros (adultos); 8 euros (3-10 anos).

          Mais informações aqui


           

          Dinoparque – Parque de Dinossauros da Lourinhã

              É o maior museu ao ar livre de Portugal e uma verdadeira perdição para apaixonados por dinossauros. Inserido numa área de 10 hectares, o Dino Parque oferece quatro percursos pedestres num total de 2,5 km que correspondem a diferentes períodos da história da Terra. A ideia é fazer uma viagem de cerca de 400 milhões de anos, ao encontro de mais de 120 modelos de dinossauros à escala real, construídos em estreita cooperação com cientistas de todo o mundo.

              Vai poder ver e tirar selfies com dinossauros como o Triceratops, o famoso Tyrannosaurus rex, o Torvosaurus, o maior predador terrestre do Jurássico, ou ainda o Lourinhanosaurus, associado a um dos maiores ninhos de dinossauros da Europa, que foi descoberto aqui mesmo na região da Lourinhã.

              Depois do passeio, visite a exposição do Museu da Lourinhã, com as descobertas paleontológicas da região, e espreite o laboratório, onde é feita a preparação dos fósseis. Por fim, pode sempre fazer um piquenique em família, mas mantenha-se bem atento porque os Velociraptors costumam aparecer…

              Preço: 12,50 euros (adultos); 9,50 euros (4-12 anos).

              Aberto todos os dias. Junho a setembro: 10h-19h (última entrada às 17h30); janeiro a dezembro: 10h-17h (última entrada às 15h30); março, abril, maio e outubro: 10h-18h (última entrada às 16h30).

              Mais infomações aqui


               

              Jardim Budha Eden – Bombarral

                  É inesperado encontrar um jardim oriental em pleno Oeste, numa região marcada por extensos vinhedos. Mas a verdade é que este pode ser um passeio surpreendente, para toda a família.

                  Idealizado por Joe Berardo, empresário madeirense conhecido pela sua coleção de arte, o Jardim Buddha Eden presta homenagem aos budas gigantes de Bamiyan, no Afeganistão, os maiores exemplares de budas em pé esculpidos no mundo, destruídos em 2001 pelos talibãs. São 35 hectares de jardins relaxantes, num elogio à paz no mundo, onde pode caminhar entre budas, pagodes e estátuas de terracota pintadas à mão, admirar um jardim de escultura moderna e contemporânea com obras de Joana Vasconcelos, Alexander Calder e Fernando Botero, ou ainda descobrir as esculturas africanas, dedicado ao povo Shona do Zimbabué.

                  Para terminar, e porque não podemos esquecer que este jardim faz parte da Quinta dos Loridos (enoturismo da Quinta da Bacalhoa) e os adultos também têm direito a diversão exclusiva q.b., marque (antecipadamente) uma prova de vinhos feita na adega antiga no jardim do solar ou na loja de vinhos.

                  Preço: 5 euros. Entrada livre para crianças até aos 12 anos

                  Mais informações aqui