Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Powered by

Unibanco
É muito ecrã: chegaram os televisores 8K É muito ecrã: chegaram os televisores 8K

É muito ecrã: chegaram os televisores 8K

É muito ecrã: chegaram os televisores 8K

Com as grandes marcas a apostarem em força no 8K, é altura de perceber melhor quais as suas vantagens, e se vale a pena apostar num destes novos ecrãs.


Publicado em 03-Mar-2020

Samsung, Sony, LG, Panasonic, Philips… pode ir acrescentando nomes à lista, porque todos os grandes players mundiais entraram no comboio do 8K — e este já só vai parar quando chegar a sua casa.

A verdade é que o 8K é a nova grande aposta para o futuro dos televisores, e a mais recente CES em Las Vegas, a maior feira mundial de tecnologia, assim o veio demonstrar, com um conjunto de novidades nunca antes vistas nesta área. 

Mas o que é realmente o 8K, e de que forma é diferente do 4K, que ainda invade a zona das novidades nas lojas? Para começar temos a diferença na definição, porque 8K não representa o dobro de 4K, mas o quadruplo. 4X mais pixéis, ou seja, de 3840×2160 saltamos para os 7680×4320. Esta imagem da Samsung ilustra-o bem.

É muito ecrã: chegaram os televisores 8K | Unibanco

Se fizermos a comparação com um ecrã Full HD então o salto é abissal. Mais 16X são muitos pixels e como cada um desses pontos representa “informação” quanto mais houver melhor será a qualidade de imagem. É assim em teoria, e na prática também — quase sempre.

Não será, portanto, complicado perceber que as 8K são as melhores televisões à venda no momento, até porque estão no topo da pirâmide e oferecem tudo o que as marcas podem ter de melhor e mais avançado. Mas será que existem conteúdos para aproveitar toda essa resolução? Na verdade, não. O Japão parece que vai ter um canal a emitir nessa resolução, ainda este ano e as novas consolas Xbox e PS5 prometem suportar essa resolução em jogos. O Vimeo suporta também vídeos nessa resolução (embora não tenha muitos) e não deverá demorar até serviços como a Netflix aderirem, tal como fizeram para o 4K. Grandes eventos desportivos, como os Jogos Olímpicos no Japão já serão transmitidos em 8K, tal como aconteceu no último Campeonato do Mundo de Futebol, ma, tal como neste caso também, não se espera que nenhuma transmissão cá do burgo o faça. Nem mesmo os filmes de Hollywood são gravados assim: tipicamente gravam em 6K

  • É muito ecrã: chegaram os televisores 8K | Unibanco
    Sony Master Series ZG9
  • É muito ecrã: chegaram os televisores 8K | Unibanco
    LG OLED 8K Real
    • É muito ecrã: chegaram os televisores 8K | Unibanco
      Sony Master Series ZG9
    • É muito ecrã: chegaram os televisores 8K | Unibanco
      LG OLED 8K Real

      Mas essa falta de conteúdos nativos não significa grande coisa, porque todas estas televisões fazem “upscaling”, ou seja, convertem um sinal de menor resolução para uma superior. Os televisores em 4K já o fazem muito, para converter o sinal normal da televisão, que mesmo na máxima definição máxima não passa do Full HD — e neste caso já é perfeitamente evidente a diferença de imagem.

      Sendo assim, para quem está a pensar em trocar o velho televisor por um destes “Rolls Royce”, a qualidade da televisão a fazer upscaling é fundamental para tirar partido do 8K, tal como convém que as entradas HDMI sejam 2.1, norma que permite já transferir esse sinal. Quanto ao resto, deve procurar basicamente as mesmíssimas coisas que já antes buscava em todas as televisões: nível de pretos, dinâmica de cores, etc, etc, só que com um nível de exigência muito maior, porque a qualidade de imagem é, de facto, desconcertante.

      O pior é o preço, porque estas televisões não são nada baratas. Ninguém estava à espera que o fossem, na verdade, mas alguns preços chegam a ser perturbadores. Ainda assim, aqui ficam algumas das melhores TV 8K a venda no mercado atualmente — e nalgumas a etiqueta do preço nem sequer é muito comprida:

      Sony KD-85ZG9

      É muito ecrã: chegaram os televisores 8K | Unibanco

      Provavelmente a melhor televisão de sempre. É fabulosa em todos os capítulos e muito complicado encontrar alguns defeitos, para além do óbvio: custa 15.299 euros neste tamanho de ecrã. Com 98’’ já custa 68 mil! Não é obviamente uma televisão para quem se preocupa com o preço, mas todas as criticas são unânimes (ou quase, à sempre dissidentes) em coloca-la mesmo no topo.

      Samsung QE75Q950R

      É muito ecrã: chegaram os televisores 8K | Unibanco

      Ainda dispendiosa, mas já ao alcance de muitos mortais, esta segunda geração de 8K da Samsung é imbatível na relação qualidade-preço. Destaque para o upscaling fenomenal, que permite ver conteúdo Full HD e mesmo standard com uma qualidade nunca alcançada anteriormente.

      A Samsung oferece este modelo em vários tamanhos de ecrã, que vão de uns modestos 55’’, até aos gigantes 98’’. Isto significa que a gama de preços da Samsung vai dos 1.800 aos 55 mil euros. Para esta versão de 75’’ o preço fica um pouco abaixo dos 4 mil euros.

      LG NanoCell TV 8K 75’’ 

      É muito ecrã: chegaram os televisores 8K | Unibanco

      A LG oferece uma TV com ecrã OLED de 88’’, linda por fora e por dentro. É obviamente uma televisão para ser o centro das atenções, mas tem um preço de 30 mil euros. Depois oferece estas 75’’ num painel mais normal, mas ainda recheado de tecnologia, porque ao contrário das primas 4K que utilizam o processador Alpha 7, as 8K têm direito ao Alpha 9 — e o resultado é uma I.A. ainda mais inteligente a tratar do upscaling, da qualidade de imagem ou corrigindo ruídos e coloração. Neste caso por 4.999,99 euros.