Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Powered by

Unibanco
Ikea celebra 75 anos à antiga Ikea celebra 75 anos à antiga

Ikea celebra 75 anos à antiga

Ikea celebra 75 anos à antiga

O novo catálogo da marca sueca já está disponível, com muitas novidades como é habitual, mas a grande aposta da Ikea para esta rentrée é uma linha de peças vintage, que recupera designs icónicos dos anos 1950 aos 1990.


Publicado em 28-Ago-2018

Ingvar Kamprad nasceu para o negócio. Com apenas 5 anos, já vendia fósforos aos seus vizinhos mais próximos e, em 1943, aos 17 anos, usou o dinheiro que acabara de receber do seu pai, agricultor com uma pequena quinta na região sueca de Småland, como recompensa pelos bons resultados escolares, para dar início a uma empresa. Batizou-a de IKEA (acrónimo para Ingvar Kamprad de Elmtaryd, Agunnaryd) e começou um negócio de venda por correio – de lápis, canetas, isqueiros, relógios, toalhas de mesa e postais. Cinco anos depois, já vendia os primeiros móveis feitos por carpinteiros locais com madeiras das florestas próximas da sua casa.

Em 1958, quando abriu a primeira loja, na pequena cidade de Älmhult, um espaço com 6700m², o jovem Ingvar já tinha planos para transformar a empresa num grande fornecedor de móveis, apresentando produtos de design inovador. Foi o caso da Lövet (agora chamada Lövbacken), uma mesa com apenas três pernas e com as pontas revestidas em metal, o primeiro produto bombástico da IKEA, que por coincidência também deu origem ao famoso conceito de móveis “monte você mesmo”, vendidos em embalagens planas. Uma ideia que surgiu por acaso, quando um colaborador da empresa, Gillis Lundgren, decidiu espontaneamente retirar as pernas da mesa para que coubesse no seu pequeno carro e não se danificasse no caminho…

Nostálgia intemporal

A poltrona Gagnet, feita à mão, em vime circular e com pernas de aço curvadas, foi outro dos produtos marcantes dos anos 1950. Tal como o candeeiro de pé Knäsjö ou a poltrona Strandmon que era um dos artigos favoritos de Ingvar… Todos eles estão de regresso às lojas, como parte da coleção vintage Gratulera, uma iniciativa apresentada para celebrar os 75 anos de design IKEA e relembrar o espírito inovador e sempre atual da empresa criada por um rapaz que vendia fósforos…

A ideia é fazer lançamentos separados de produtos comemorativos de três épocas: os anos 1950/60, 1970/80 e 1990/00, em três datas diferentes. “Cada lançamento é muito diferente, simbolizando o período em que ocorreu: das madeiras escuras com uma expressão clássica, passando por um estilo divertido com cores vivas, até um ambiente mais minimalista, com madeiras claras naturais e cores gráficas”, explica Karin Gustavsson, creative leader da marca sueca.

 

Assim, este mês (agosto) já vai encontrar nas lojas IKEA peças da década de 1950-60, os já mencionados e ainda clássicos como a cadeira Bjurån, os copos Smakkänsla ou a taça Välfylld. Em outubro, é a vez de prestar homenagem aos anos 1970 e 80, com cadeiras de arame, camadas coloridas e brilhantes e padrões de estilo Memphis, um movimento de design muito popular na altura. É o caso do sofá Klippan com capas acolchoadas coloridas que foi um dos primeiros sofás acessíveis da Ikea, tornando-se um ícone. Para a coleção Gratulera, há novas capas em amarelo-vivo, vermelho-fogoso e azul-cobalto-elétrico.

Finalmente, em dezembro, a Ikea voltará aos anos 1990, época em que a empresa adotou um estilo mais “minimal”, misturando madeiras escandinavas claras sem tratamento com padrões gráficos. “Durante os anos 90, escolhemos uma expressão mais natural. Julgo que os móveis esculturais de Thomas Sandell são exemplo disso mesmo. Nessa altura, o pequeno banco com rodas num dos lados e pernas no outro era uma peça de design desejada por muitas pessoas”, diz Karin Gustavsson a propósito do banco IKEA PS, lançado naquela que foi a primeira coleção PS, em 1995, unindo linhas modernas a uma boa dose de funcionalidade, graças à sua arrumação oculta.

Seja qual for o seu estilo ou peça favorita, esta coleção vintage inclui móveis, iluminação, artigos para a mesa, e simples peças decorativas — mas em quantidades limitadas. Ou seja, são pequenas preciosidades da história do design dignas de museu, mas a preços acessíveis. Na verdade, a marca que hoje está presente em 48 países, com quase 400 lojas em todo o mundo, tem direito a um museu a sério, um espaço de 7000 m2 precisamente no lugar onde tudo começou, e onde há até uma loja para os fãs da marca no qual se pode comprar um número limitado de produtos IKEA que não estão disponíveis em mais nenhum lugar.